Quinta, 15 de Abril de 2021 02:26
[email protected]
Educação ESPECIAIS

Escritor maranhense Edmilson Sanches tem livros relançados pela Editora Estampa

Edmilson Sanches fundou a Academia Imperatrizense de Letras em 27 de abril de 1991

23/03/2021 15h05
133
Por: Mhario Lincoln Fonte: Divulgação
capa
capa

EDITORA ESTAMPA RELANÇA LIVROS DE EDMILSON SANCHES

Divulgação

Neste mês de março, a Editora Estampa, de Imperatriz, acabou de relançar quatro livros do jornalista, consultor e escritor Edmilson Sanches. Segundo Giselda Castro, proprietária da editora, os livros estão esgotados desde o ano passado, quando três dos títulos tiveram a maior parte de sua tiragem adquirida pela Secretaria Estadual de Educação. 

Edmilson Sanches, que fundou a Academia Imperatrizense de Letras em 27 de abril de 1991 e criou o Salão do Livro de Imperatriz (Salimp) em 27 de março de 2003 (com o nome de Feira do Livro), na sua segunda gestão como presidente da Entidade (2003/2005), já tem mais de cem livros escritos. O editor Adalberto Franklin, irmão de Giselda, queria republicar a obra completa do seu colega de Academia, pela Ética Editora, mas o falecimento de Franklin em 2017 não permitiu prosseguimento do plano. A Editora Ética chegou a lançar até quatro obras inéditas de Sanches de uma só vez, por ano.

Os livros que agora foram relançados foram apresentados na quarta-feira, 17 de março, ao público de Caxias (MA), terra natal do autor, em solenidade promovida pela Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama), que completou 10 anos, no auditório da Academia Caxiense de Letras. O autor encontra-se agora em Fortaleza, onde os livros também serão apresentados a caxienses, maranhenses e outras pessoas.

Edmilson Sanches é membro, no Maranhão, da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, União Brasileira de Escritores, Instituto Histórico e geográfico do Maranhão, Instituto Histórico e Geográfico de Caxias, Academia Sertaneja de Letras, Educação e Artes do Maranhão (Asleama), membro efetivo das Academias de Letras de Imperatriz, Caxias, Açailândia, Santa Inês, João Lisboa e Buriticupu, patrono de Cadeira na Academia de Letras de São João do Sóter e membro correspondente de Academias em Rondon do Pará (PA), Praia Grande (SP) e Serra (ES). Administrador, consultor e palestrante, é membro do Conselho Regional de Administração e Conselho Regional de Contabilidade. Os quatro títulos relançados de Edmilson Sanches são:

----- “A CANÇÃO DO BRASIL”, provavelmente o primeiro livro brasileiro a fazer resgate sobre a importância, influência e impacto da poesia “Canção do Exílio”, do poeta maranhense Gonçalves Dias, na Literatura Brasileira e de Língua Portuguesa. Traz extensa relação de nomes famosos e desconhecidos que se deixaram tocar pela expressividade da mais conhecida poesia de Gonçalves Dias. Entre os nomes, cantores como Chico Buarque e Caetano Veloso, escritores como Carlos Drummond de Andrade, Paulo Leminski, Manuel Bandeira, Ferreira Gullar;

-----  “MARANHÃO NÃO É MENTIRA”, um trabalho sobre a vida e obra do padre jesuíta José de Moraes e das origens da falsa atribuição do sinônimo “mentira” à palavra “Maranhão”, e a participação do famoso pregador padre Antônio Vieira na construção desse mito até hoje repetido. Sanches foi buscar as origens e desfazer o erro histórico que atribui aos maranhenses a pecha de “preguiçosos”. A obra tem apresentação do ex-reitor da UEMA, diretor do jornal “O Imparcial” e desembargador aposentado Arthur Almada Lima Filho, decano do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, educador e autor de vários livros que integram a Historiografia maranhense;

-----  “TEIXEIRA MENDES – ESSE NOME É UMA BANDEIRA”, livro em segunda edição que relata a vida, obra e lutas de um dos maiores “clínicos da Cidadania Brasileira”, segundo Sanches, o filósofo e matemático maranhense Raimundo Teixeira Mendes, autor da Bandeira Nacional brasileira. Foi Teixeira Mendes quem redigiu a lei que fez a separação da Igreja do Estado, o que resultou no direito de todo brasileiro à liberdade de culto e crença, a ter uma religião, ou a ser ateu. Igualmente, pelos esforços de Teixeira Mendes, o Brasil ganhou leis de proteção à mulher, ao menor trabalhador, aos doentes mentais, à criação da Funai (proteção aos índios) etc.; e

-----  “DO INCONTIDO ORGULHO D ESER CAXIENSE”, que traz um histórico pronunciamento de Sanches na sede do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias e textos de pesquisa histórica sobre pessoas e fatos de uma das mais antigas e mais cultas cidades do Brasil. O livro, colorido, tem grandes dimensões, 19,5 cm X 29 cm. 

Sobre essa obra, escreveu a professora doutora DEUZIMAR COSTA SERRA, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA): “Em meus 32 anos como professora nunca tinha visto um discurso tão bonito, agradável e denunciador quanto o seu. Você é o cara!” 

Por sua vez, escreveu uma das mais fortes e representativas vozes da poesia caxiense, maranhense e brasileira, CARVALHO JÚNIOR, que é professor, gestor escolar e ativista cultural: “(...) Seu discurso foi legítimo e lindo de se ouvir. Sou um cara extremamente verdadeiro naquilo que digo. Você é uma das nossas maiores inteligências. Uma mente brilhante e privilegiada. Aliás, o privilégio é de Caxias por ser seu torrão natal. (...)" .

Já MANOEL DE PÁSCOA MEDEIROS TEIXEIRA (“in memoriam”), professor, escritor e fundador da Asleama, disse: “A sua voz, no cenário do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias, ressoou, como os sinos de Jerusalém, em plena data natalina, despertando a cidade de Caxias no Maranhão, em busca do valor cultural. Suas palavras foram felizes, que sejam cabíveis no cenário do ser de cada caxiense”. 

Um dos mais renomados poetas caxienses, WYBSON CARVALHO, jornalista, ex-presidente da Academia Caxiense de Letras, escreveu: “Desculpe importuná-lo cedo, mas quero lhe dizer que nunca, jamais, em meus 55 anos de vida, em academias, em congressos, em qualquer lugar, eu houvera ouvido um discurso tão bonito, tão inteligente quanto eu ouvi na noite desta sexta-feira. (...) Teodoro Ribeiro [autor da letra do Hino Caxiense] já previra o futuro, quando escreveu: "Clara estrela no céu maranhense". Você é essa estrela. Você merece o céu, o melhor, pois no chão quem deveria estar eram certas pessoas, para serem pisoteadas. Parabéns, meu amigo, parabéns!" 

 

Para contato com o Autor ou aquisição: [email protected]

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Curitiba - PR
Atualizado às 02h15 - Fonte: Climatempo
15°
Chuvisco

Mín. 12° Máx. 21°

15° Sensação
6 km/h Vento
94% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (16/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 25°

Sol com algumas nuvens
Sábado (17/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 15° Máx. 23°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Ele1 - Criar site de notícias