Sábado, 27 de Novembro de 2021
24°

Alguma nebulosidade

Curitiba - PR

Blogs e Colunas Palavra do MHL

Uma homenagem ao inesquecível Luís Augusto Guterres, advogado, promotor, jornalista e empresário

Uma tradição familiar de 300 anos, no Estado do Maranhão.

12/11/2021 às 16h28 Atualizada em 15/11/2021 às 09h17
Por: Mhario Lincoln Fonte: Divulgação
Compartilhe:
Tradição há 300 anos.
Tradição há 300 anos.

RASCUNHOS DE CARNAVAL

*Mhario Lincoln (Com informações da família).

Como maranhense, não poderia deixar de prestar esta merecida homenagem ao Dr. LUÍS AUGUSTO DE MIRANDA GUTERRES, advogado, promotor, jornalista e empresário.

Meu primeiro contato foi numa dessas semanas que antecederam o Carnaval e eu fui designado para fazer uma reportagem sobre Blocos Tradicionais. Então procurei o João Milhão - João Guterres, pai de meu amigo Júlio Guterres, que também era o tutor de um bloco dos mais premiados da época. Foi ele quem me indicou Luís Augusto Guterres para a entrevista.

Guterres tinha uma história brilhante com relação ao Blocos Tradicionais, entre as décadas de quarenta e cinquenta, destacando-se, por exemplo, os Boêmios do Ritmo, da Cidade de São Luís do Maranhão.

Ocorre é que marcamos e remarcamos algumas vezes. Mas Guterres era atarefado e acabou por não conversarmos. Daí ele pediu ao filho Guto, meu contemporâneo e amigo de infância, que me entregasse alguns papéis e folhas de caderno anotados com informações sobre os Blocos Tradicionais, fato que me ajudou bastante a escrever, uma semana depois, a tão sonhada matéria que abriria os festejos de Momo na capital do Maranhão.

DR. LUIS AUGUSTO GUTERRES

Neste 2021, fez 90 anos. E sua memória permanece viva, mesmo ele tendo se mudado para esferas superiores. Muito amigo de meu pai, também advogado José Santos, com quem fui várias vezes na casa da família Guterres, no bairro do Apicum, centro. Lá ficava com Guto, enquanto papai e Luís Augusto trocavam opiniões sobre várias causas jurídicas que envolviam os dois.

Desses encontros surgiu uma amizade e um respeito entre eu e Luís Augusto Guterres Filho, esse advogado brilhante, herdeiro das qualidades guterrianas. Tanto que recentemente recebeu importante Medalha "Antonio Rodrigues Velozzo", do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Com o bastão da família, Luís Augusto Guterres filho segue a linhagem de seu avô e pai, homens respeitados nas lides, em suas épocas. Uma família de mais de 300 anos de história. Desde o bisavô, Coronel Luiz Antônio Guterres, comerciante, presidente da intendência municipal da Cidade de Alcântara, passando pelo avô Augusto Corrêa Guterres, (leia-se ainda, Ary dos Santos Guterres, cirurgião dentista e militar, major da polícia militar do Maranhão).

Dr. Luís Augusto Guterres (pai de nosso queridíssimo Guto, como é chamado por seus amigos mais próximos), nasceu em 12 abril de 1931 na Cidade de São Luís – MA, primogênito, dentre treze irmãos e irmãs, foi casado com Aldanira Braúna Guterres, faleceu aos 54 anos de idade, no dia 11 de maio de 1985 na Cidade de São Luís – MA.

ADVOGADO, PROMOTOR:

Ingressou ainda muito jovem na Faculdade de Direito, na década de 50. Destacou-se como acadêmico.

POLITICA:

Nessa época, foi membro do Partido de Representação Popular (PRP), em 1958, com 27 anos, se formou a passou a atuar como advogado, foi procurador do Loide Aéreo Nacional S/A, logo após foi Promotor Público nas comarcas de Presidente Dutra, Pedreira, Arari e Vitória do Mearim. 

Exonerou-se após essa breve passagem no Ministério Público e passou a se dedicar à advocacia. Proferiu várias conferências no Ginásio Arnaldo Ferreira, sobre o tema “O Homem e o Desconhecido”, foi palestrante, participando em diversos segmentos em todo o Brasil, advogado do Banco Real S/A e da Cia. Real de Investimento, hoje Santander.

Possuía o título de Mestre Maçom, na Grande Loja do Maranhão, orador fluente e membro ativo, com participação em vários eventos, um orador nato que prendia de maneira convincente as atenções dos auditórios,

EMPRESARIO:

Como empresário participou da Empresa Empreendimentos Turismo Araçagi Ltda., do ramo imobiliário e de entretenimento.

JORNALISTA:

Luís Augusto Miranda Guterres foi membro do Sindicato dos Jornalistas, redator do jornal “Diário Popular” e do jornal “Novidades”, Diretor da revista “O Panorama”, semanário muito conceituado. É autor de “Escada do Pecado”, “Castigo de Dom Juan”, “Máscara da Ilusão” e diversos outros contos publicados na Revista “O Panorama”.

A REVISTA PANORAMA: 

Revista Portuguesa de Arte e Turismo, nasceu em 1941, por iniciativa de António Ferro, tendo publicado quatro séries até 1973, dentro da preocupação de promover, interna e externamente, Portugal como destino turístico, Quando hoje voltamos a folhear a revista "Panorama" fica-nos uma dupla sensação, a da grande qualidade gráfica e a da presença de um conjunto de artistas com reconhecimento geral, sobretudo quando nos reportamos à fase inicial, em que António Ferro tem uma significativa margem de manobra na capacidade de atrair os melhores artistas do momento, Quando hoje regressamos à memória histórica da revista, temos de compreender a sua natureza e o fato de o seu fundador ter entendido a importância da ligação entre o turismo e a cultura. Ele disse: "Enganam-se os homens de ação (…) que desprezam ou esquecem as belas-artes e a literatura, atribuindo-lhes uma função meramente decorativa (…)". Essa compreensão conduz, naturalmente, a que seja a fase inicial a mais interessante da vida da revista, uma vez que estamos perante a sua natureza precursora e o ativismo do seu fundador. E dentre essas atividades, publicar as ilustrações de Bernardo Marques, Emmérico Nunes, Ofélia Marques, Paulo Ferreira, Manuel Lapa, Eduardo Anahory ou Júlio Gil, que marcam a identidade da revista. Para Ferro, seria importante apostar na vertente das artes. E diz:  Como afirma Reis Torgal. Por indicação de familiares e com pesquisas, descobri que o ilustre Jornalista em um gesto nobre doou alguns exemplares de sua coleção a Biblioteca Pública Benedito Leite em São Luís – MA.

Como se vê, foi de grande importância a participação do (jornalista) Luís Augusto Miranda Guterres, nesse contexto. Provavelmente um dos primeiros maranhenses (residentes em São Luís), a colaborar com uma mídia internacional, mesmo sem o advento da internet. Daí a real importância desse fato.

CARNAVAL:

Na história dos Blocos tradicionais, na década de quarenta teve sua participarão na fundação do Bloco Tradicional Boêmios do Ritmo da Cidade de São Luís do Maranhão (Fundado em 8 de dezembro de 1947), sendo membro também da diretoria (Associação Recreativa Boêmios do Ritmo).

Destarte, eu fico feliz em saber um pouco mais dessa história e, anos depois, continuar me orgulhando, agora, mais ainda, de ter recebido aqueles rascunhos escritos pelo pai Miranda Guterres, através das mãos adolescentes de Guto (premiado Dr. Luís Augusto Guterres), meu amigo, irmão e confrade, até os nossos dias.

Confesso que essa reportagem sobre "Blocos Tradicionais", à época, foi meu primeiro e mais importante texto, logo no começo de minha carreira como jornalista de campo. A partir daí, comecei a ser visto com outros olhos pelo editor do jornal. Portanto, gratidão aos Guterres. Isso que eu tenho a dizer, amigo Luís Augusto.

Mhario Lincoln

*Presidente da Academia Poética Brasileira e editor-chefe da ACERVUM, suplemento da Revista Poética Brasileira.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias