Domingo, 28 de Novembro de 2021
18°

Muitas nuvens

Curitiba - PR

Galeria de fotos 1 foto

O júri do Prêmio Camões decidiu render-se a simplicidade aguerrida de Paulinia Chiziane

28/10/2021 às 19h53
Por: Mhario Lincoln
Compartilhe:

Paulinia Chiziane

"Eu venho de lugar nenhum. Eu sou aquela pessoa que aprendeu a ler e a escrever, foi escola... Teve essa sorte, mas também teve a sorte de caminhar pelo país e descobrir as maravilhas que este país tem. Então, eu não sou, propriamente, aquela pessoa que se pode dizer 'Ela veio de um estrato social X, assim nobre'. Não, eu vim do chão! Portanto, um reconhecimento para alguém que veio de lugar nenhum, sem dúvida, é um motivo de inspiração para uma outra geração". Paulina Chiziane /Prémio Camões 2021

Especial Joema Carvalho para o Facetubes.com.br

O júri do Prêmio Camões decidiu por unanimidade escolher Paulinia Chiziane como vencedora de 2021. Considerou a sua vasta produção, recepção crítica e como retrata a mulher moçambicana na sua obra.

10 romances publicados.

Paulinia foi a primeira mulher a publicar um romance em Moçambique e agora, primeira mulher africana a ser distinguida pelo Prêmio Camões. 

Paulinia Chiziane nasceu no subúrbio de Maputo em Moçambique na África do Sul. No vídeo, referiu-se a si mesma como uma camponesa tranquila que precisa estar ao lado da sua fogueira, diariamente, mesmo em dia de calor. Disse que veio do chão, de lugar nenhum e que teve a sorte de viajar pelo seu país e de conhecer as belezas dele. Considera que o seu reconhecimento é para todo um povo que vê nela alguém que faz parte dele próprio e que tudo o que ela escreve é parte de uma memória coletiva.

O conto "As Cicatrizes do Amor" impressionou-me demais. Através da beleza da linguagem, desta autora, conta uma história densa, triste e injusta de amor, como se fosse tão leve como o toque da brisa e, ao mesmo tempo, forte.  Mescla os elementos da natureza com os personagens e contextos: " O vulcão de recordação explodiu narrativas; as lavas caíram como um soco na garganta abafando os acordes". Uma linguagem que gera a medida exata de um texto temperado e de uma frequência muito elevada: "Amor verdadeiro só a terra dá, quando no fim da jornada ela diz: repousa nos meus braços por toda a eternidade ".

Parabéns e sucesso para a Paulinia Chiziane!

O JÚRI:

O júri do Prémio Camões 2021 foi constituído pelos professores universitários Ana Martinho e Carlos Mendes Sousa (Portugal), pelo escritor e investigador Jorge Alves de Lima e Pelo professor universitário Raul César (Brasil), e pelos escritores Tony Tcheka (Guiné-Bissau) e Teresa Manjate (Moçambique). Esta é a terceira vez, em 33 anos, que o galardão é atribuído a um escritor moçambicano, depois de José Craveirinha, em 1991, e Mia Couto, em 2013.

 

Curiosidade:

Em 1990, Paulina Chiziane publica o livro "Balada de Amor ao Vento", tornando-se na primeira mulher a publicar um romance no país.

VÍDEO-BÔNUS

Recuperada do Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=2jG4BGhYpcQ&t=16s

"

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias