Sábado, 06 de Março de 2021 02:56
[email protected]
Blogs e Colunas Poetas & Poetisas

Gabriela Serra Pinto de Alencar, 26 anos, S.Luís MA, bacharela em Direito pela UFMA

Apresentada pelo poeta João Batista do Lago.

21/02/2021 11h11
238
Por: Mhario Lincoln Fonte: JB do Lago
capa
capa

POETAS & POETISAS

(Especial, João Batista do Lago).

Apresentando, hoje: Gabriela Serra Pinto de Alencar, 26 anos de idade. Nascida em São Luís, bacharela em Direito pela Universidade Federal do Maranhão e mestre em Políticas Públicas também pela UFMA. Assessora jurídica no Ministério Público do Estado. Vencedora do Concurso Literário do Grêmio Litero Recreativo Português, em primeiro lugar, na edição de 2019. Pesquisadora na área de violência de gênero. Escritora "de gaveta" desde os 10 anos e amante assídua da poesia.

 

Prosa Poética

Insisto em dizer que, se desbravarem minh'alma e perubambularem por cada canto dela, não se depararão com nada além de poesia vibrante, clamando para ser libertada. Queimando em fogo brando dentro de mim, consumindo-me por inteira, esmagando pequenas gotas de razão que ainda permanecem ali por engano.

Não tardei a perceber, no entanto, que o destino que traçaram a mim (alheio a minha vontade) chocava-se com minha essência, genuinamente poética. Enquanto primavam por meu conforto e estabilidade física, eu, presa à ideais tolos -se assim preferirem-, insistia na busca pela solidez do meu interior, pelo alcance de uma alteridade não fugaz. O futuro que a mim planejaram resplandeceu diante dos meus olhos, nauseando-me: eu, figura vil, sem jamais deixar transparecer o que quer que ameace minha sanidade. Então, eu mesma, já inebriada pela lógica que hoje repudio, ironizaria os sonhos que em outrora foram a base da minha existência. 

Com o poeta JB do Lago.

Temo que as palavras entrem em a fuga diante da minha presença, quando eu já não for sensível à mágia que apenas elas são capaz de me proporcionar. Não seria capaz de sobreviver diante da rejeição daquelas que foram, durante muito tempo, minha única salvação. Temo que a sensação de contorcê-las ao meu modo, de sentir-me dopada pela lírica do meu verso, se resuma à lembranças e saudosismo inexpressivo.

E não posso deixar-me sucumbir ao que impuseram a mim. Não notaram que se assim o fizesse, arrancaria tudo que há de fértil em mim, eu aprodeceria, iria manter-me em sufoco interminável, sem alívio.

Peço desculpas, mas preciso das palavras fervendo dentro de mim para perceber-me digna da vida.

 

Puramente Poesia!

Ainda que falte-me amores, tempo e dinheiro 

Sei que em ti posso confiar, 

minha querida poesia 

Percebo que tu és, 

Não tâo somente minha dor, 

mas todo misto de alegrias, dúvidas e devaneios que partem do meu ser 

cuja imaturidade dos versos insistem em desiludir-me irrefutavelmente 

 

Tu, só tu 

És capaz de transporta-me para o mundo que eu quiser 

E permites-me escolher quem julgo merecedor, para conhecê-lo também

Portanto, se me perguntarem o que faço, do que gosto e quem sou 

Responderei sem pensar: 

Puramente poesia!

5 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Academia Poética Brasileira
Sobre Academia Poética Brasileira
Espaço reservado a APB para publicação de textos em prosa e poesia de seus membros.
Curitiba - PR
Atualizado às 02h44 - Fonte: Climatempo
17°
Nevoeiro

Mín. 16° Máx. 25°

17° Sensação
6 km/h Vento
100% Umidade do ar
90% (12mm) Chance de chuva
Amanhã (07/03)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 23°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Segunda (08/03)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 15° Máx. 26°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Ele1 - Criar site de notícias