Domingo, 19 de Setembro de 2021 02:05
[email protected]
Blogs e Colunas Convidados

Sábado Poético: Pedro Sampaio, Carmen Dias, Claudio Marcio, Antonio Ailton, Maria José da Silva e Joana Bittencourt

Entretenimento.

15/05/2021 11h45 Atualizada há 4 meses
232
Por: Mhario Lincoln Fonte: Divulgação
capa
capa

SÁBADO POÉTICO

Um poema enviado pela amiga Biláh Bernardes, escrito pelo confrade Claudio Marcio (APB/seccional de MG) para sua mãe, D. Preta. ambos subiram ao Eterno. Agradecimentos a escritora e poeta Biláh Bernardes pela colaboração.

Claudio Marcio (APB/MG) e D. Preta.

Essência

(Para Dona Preta)

*Claudio Marcio

Essência de afeto e carinho

Generosidade que contagia e seduz

Celebra a vida com arte

Poeta de aromas e sabores

Que alimenta alma/espírito

No instante do ofício

Nos ensina que a cerne do sucesso

Está no amor em realizar.

Pequena de alma gigante

Fiel escudeira

Sempre a postos para servir

Sublime tu és

Divina dádiva sagrada. 

Quero sempre para sempre

Deleitar-me

Com tua doce presença.

Escutar tuas

Sóbrias e sábias palavras.

Contagiar-me

Com tua energia.

Flutuar-me

Na suavidade do teu olhar.

Deliciar-me

Com teu humor.

Encantar-me

Com teu fascinante sorriso.

Desfrutar-me

De tua sensibilidade mágica

De vê-la

Embelezar o que é desprovido de beleza

E fazer o belo tornar-se eterno.

Cláudio Márcio Barbosa

 

Rascunhos originais da Poesia.

JOANA BITTENCOURT, poesia escrita em Ville de France, Cote d'Azur,  em Nice França. Lá joana também finalizou seu livro Itagiba, agosto de 2007. APB/Secional do Maranhão:

NORDESTINO, SIM SENHOR!

Sou nordestino, seu menino, sim senhor!

Sou de lavra e de palavra, seu doutor.

Sou antes, e acima de tudo, um forte.

Enfrento o sol, a chuva, a morte.

Com a mesma disposição,

 ponho a mão na enxada, faço versos à minha amada, dou conta da produção.

Se preciso for, viro pedreiro, carpinteiro, poeta, violeiro, cantador.

Mas sou bom mesmo é no trato com a terra.

Verdade, verdade encerra

Eu sou um bom lavrador!

Para ser aquilo que sou,

só preciso de Deus, de água e de chão.

Por isso me largue de mão: eu minha enxada e meu torrão.

(Aí eu vou lhe dar de comer) e todos vão sobreviver.

- A terra é minha riqueza.

É dela que brota tudo que  abastece sua mesa.

(Agora entendo porque todo mundo cobiça a terra...).

- É que a terra encerra toda riqueza do mundo!

 

Maria José/APB/Rio.

Poesia de MARIA JOSÉ DA SILVA/APB, seccional do Rio de Janeiro.

Sou Nordestina de coração

Criada lá no meio do Sertão.

Andando de pés no chão...

Dormido numa Esteira

E comento meu Pirão.

Meu Sertão meu Nordeste 

Nunca te esquecerei.

Não tinha nenhuma riqueza 

Foi ali que nasci.

Meu Nordeste terra amada

Minha Terra, meu Torrão 

Se nasci naquela Terra

Mas, era muito feliz.

Eita...saudade que sinto 

De tudo que lá vivi.

No meu Nordeste querido!

Saudade sinto de ti.

O Terreiro se iluminava 

Com o clarão da Lua.

Na Palhoça o Lampião

Era nossa energia.

Toma banho de Rio

Cantava minhas canções.

Li os Folhetos de Cordel

E tinha como como lição.

Oh! Saudade dessa Terra!

Se um eu voltar,

Vou rever os meus amigos...

E a saudade matar.

Nortista com orgulho! 

Foi lá que eu nasci.

Se hoje, estou distante...

Mas nunca te esqueci.

(Maria José da Silva)

Ailton.

ANTONIO AILTON/ALBERICO CARNEIRO. Poeta e romancista, editor clássico do "Guesa Errante", Suplemento Cultural e Literário do JORNAL PEQUENO. Chega aos 76 anos com respeito de seus pares e uma bagagem excepcional de trabalho pela cultura do Maranhão. Neste 15 de maio ele faz aniversário. Sem dúvida, uma dos grandes nomes do mundo literário e educacional do Maranhão. Hoje, outro poeta, o Antonio Ailton, faz uma merecida homenagem ao Alberico, através do envio do nosso confrade João Batista Gomes do Lago/ APB, seccional do Maranhão.

 

Antonio Ailton.
Pedro Sampaio.

"Aura de Luz"

*Pedro Sampaio

Às palavras negativas, não se prenda

Relembrar torturas, se revive uma agonia

Vibrar com o positivo é bom que se aprenda

Expurgue do pensamento, a negativa energia

 

Desculpar, não é igual a perdoar

E pouco serve, pra seguir a caminhada

Desculpa, lembra ferida que veio cicatrizar

Perdoar torna, a sua alma libertada

 

Seguindo livre, leve e solto o coração

O completo alimento, para alma é o perdão

Ensina a vida, e precisamos aprender

 

Quem faz o bem, semeia trigo e planta amor

Com Espírito evoluído d'um Ser edificador

Esse tem aura de luz, para além do seu viver.

   (Pedro Sampaio)

 

Carmen Dias, APB.

Acadêmica Carmen Regina Dias. APB/PR

A Bella Tarde*

A bella tarde se lança

ao espaço entre o dia e a noite.

Gostosa e lânguida, 

vai descendo o zíper do vestido de seda 

vermelho, para seduzir, ombros à mostra, 

fenda horizontal insinuando-se

no limite entre o céu e o chão,

sentidos aflorados,

chama ...

 

 

O poeta, 

rosa rubra nos lábios,

pena fina na mão, 

poema ardendo na ponta da língua,

corre ao seu encontro,

inebriado, encantado, fascinado.

As maçãs exalam, as sereias espiam,

as areias suspiram.

Eu espero sentada à beira do a mar.

Carmen Regina*

2011

 

5 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Academia Poética Brasileira
Sobre Academia Poética Brasileira
Espaço reservado a APB para publicação de textos em prosa e poesia de seus membros.
Curitiba - PR
Atualizado às 01h50 - Fonte: Climatempo
16°
Nevoeiro

Mín. 15° Máx. 27°

16° Sensação
6 km/h Vento
100% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (20/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 30°

Sol com algumas nuvens
Terça (21/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 28°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Ele1 - Criar site de notícias