Terça, 25 de Junho de 2024 08:37
editor-sênior, jornalista Mhario Lincoln
Cultura Acre

Com brilho e dedicação, quadrilheiros se preparam para calendário de apresentações juninas deste ano

Os preparativos para a temporada de arraiais de São João estão animados com os ensaios de quadrilheiros dispostos a participar nos circuitos munici...

28/04/2024 12h01
Por: Mhario Lincoln Fonte: Secom Acre
Foto: Reprodução/Secom Acre
Foto: Reprodução/Secom Acre

Os preparativos para a temporada de arraiais de São João estão animados com os ensaios de quadrilheiros dispostos a participar nos circuitos municipal, estadual e nacional de 2024. Neste ano, cerca de treze grupos, da capital Rio Branco e de municípios do interior do estado, se preparam com entusiasmo, brilho e dedicação para manter viva a rica tradição junina.

Para a etapa estadual, o governo do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), está se preparando para receber as quadrilhas juninas. Neste mês de abril, a FEM alinha os primeiros detalhes sobre a etapa estadual com a Liga de Quadrilhas Juninas do Acre (Liquajac).

Quadrilheiros iniciaram ensaios juninos ainda em janeiro deste ano. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Quadrilheiros iniciaram ensaios juninos ainda em janeiro deste ano. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“O governo do Estado, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour, investe na tradição das festas juninas com a realização do Arraial Cultural, e o ponto alto é a apresentação das quadrilhas juninas, que levam ao público toda a beleza da diversidade cultural acreana. A FEM reconhece a importância desse evento para a população e, no momento, finaliza as tratativas com a Liga das Quadrilhas Juninas do Acre”, enfatizou o presidente da FEM em exercício, Altino Machado.

No ano passado, além das juninas da capital, grupos de Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Porto Acre participaram do circuito de apresentações estadual, o Arraial Cultural. A expectativa é que, neste ano, os quadrilheiros do interior voltem a participar nesta etapa.

Juninas iniciaram ensaios para os circuitos culturais ainda em janeiro deste ano. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Juninas iniciaram ensaios para os circuitos culturais ainda em janeiro deste ano. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Nos esforçamos para manter as quadrilhas ativas, mesmo diante dos desafios. A dedicação de todos os envolvidos é fundamental para preservar essa tradição”, disse a presidente da Liga das Quadrilhas Juninas do Acre (Liquajac), Lene Santos.

Arraial Cultural atraiu grande público para assistir às quadrilhas juninas, no Calçadão da Gameleira, em 2023. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Arraial Cultural atraiu grande público para assistir às quadrilhas juninas, no Calçadão da Gameleira, em 2023. Foto: Marcos Vicentti/Secom

De Rio Branco, são esperadas as juninas Amor Junino; Escova Elétrica; Sassaricano na Roça; Pega Pega; Matutos na Roça; Malucos na Roça; Assanhados na Roça; CL na Roça; e Explode Coração. Do interior, há as juninas Treme Terra, de Santa Rosa do Purus; Manguaça e Farofa de Capeta, de Sena Madureira; Forrozeira, de Porto Acre; e Pacatuba, de Plácido de Castro.

Preparação e amor

Os ensaios da Sassaricano na Roça começaram na terceira semana de janeiro, mas o planejamento começou ainda em outubro do ano passado, após a junina ter sido campeã do circuito estadual, com o tema “A flor e o beija-flor: 20 anos de uma história de amor”. Dois dias após o título estadual, a Sassaricano foi para a etapa nacional, em Canaã dos Carajás (PA), onde conquistou o 9º lugar, entre as quinze melhores do país.

Sassaricano na Roça foi campeã estadual em 2023. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Sassaricano na Roça foi campeã estadual em 2023. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Vencemos o estadual e fomos para o nacional com um frio na barriga, porque quando vamos para o nível nacional o Acre sempre fica entre os últimos. Então, ficar em nono lugar foi maravilhoso. Ficamos aflitos para organizar tudo, os mantimentos, as roupas e todo mundo, mas foi uma aventura e deu tudo certo”, disse Júnior Martins, coordenador de apoio da Sassaricano.

Campeã disputou a etapa nacional em Canaã dos Carajás, no Pará. Foto: José Caminha/Secom
Campeã disputou a etapa nacional em Canaã dos Carajás, no Pará. Foto: José Caminha/Secom

De volta em casa, após a conquista, o grupo começou o planejamento para 2024 e, nos ensaios deste ano, os quadrilheiros seguem entusiasmados para apresentar o “São João das Maravilhas”, tema deste ano. Os ensaios acontecem toda terça, quarta e quinta-feira, e as inscrições são abertas para todos que desejam participar.

Cerca de 120 pessoas integram a Sassaricano na Roça. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Cerca de 120 pessoas integram a Sassaricano na Roça. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Sassaricano na Roça: 21 anos de amor

Neste ano, a Sassaricano completa 21 anos de história, todos eles vivenciados com o quadrilheiro Willen Augusto, que participa desde o início das atividades da junina, quando os ensaios ainda aconteciam na Associação de Moradores do bairro Novo Esperança.

“Eu vinha passando de algum lugar e o Branco [personagem icônico na história da Sassaricano] me chamou para dançar. No primeiro e segundo ano eu não peguei festival, mas comecei no terceiro ano. Nessa caminhada eu já fui rei, noivo, noivo atuante, tenho um histórico de personagens na quadrilha”, Willen disse com orgulho da trajetória.

Quadrilheiro Willen Augusto é integrante da Sassaricano na Roça desde o início, em 2003. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Quadrilheiro Willen Augusto é integrante da Sassaricano na Roça desde o início, em 2003. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“A gente começou bem lá atrás, quando não tinha festival. Depois veio o festival do Sesc [Serviço Social do Comércio seccional Acre], e os circuitos na Gameleira e na Arena da Floresta”, acrescentou o quadrilheiro.

Sassaricano na Roça foi criada em 2003, no bairro Novo Esperança. Antes, a junina tinha o nome Caipiras Novo Esperança. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Sassaricano na Roça foi criada em 2003, no bairro Novo Esperança. Antes, a junina tinha o nome Caipiras Novo Esperança. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Na Sassaricano desde 2015, a história do coordenador de apoio, Júnior Martins, é contada com brilho nos olhos. Ele lembra que sempre admirou as apresentações: “Eu sempre quis dançar, mas eu venho de uma família muito rígida e religiosa. E o pai e a mãe não me deixavam participar porque tinha aquela visão de bagunça. Mas um dia me chamaram, eu encarei o desafio e estou até hoje”, revelou.

Júnior Martins e Nicole Souza são quadrilheiros da Sassaricano na Roça. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Júnior Martins e Nicole Souza são quadrilheiros da Sassaricano na Roça. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Respeito e compromisso

Natural de Feijó, a presidente da Sassaricano, Ellen Hanashara, é integrante do grupo desde quando veio para a capital, em 2009. Ela fala que chegou a montar uma junina na cidade natal, mas encontrou um novo lar na Sassaricano na Roça, após vir a trabalho para a capital.

Presidente da Sassaricano na Roça, Ellen Hanashara, ama o trabalho que desenvolve na junina. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Presidente da Sassaricano na Roça, Ellen Hanashara, ama o trabalho que desenvolve na junina. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Para nós, público LGBTQIAP+, não existem muitas oportunidades, e as quadrilhas abraçam todos os públicos – adultos, crianças e adolescentes que vivem em vulnerabilidade. Então, as quadrilhas têm essa essência de acolher as pessoas, abraçar, tirar de um mundo que a gente sabe que não é fácil”, explicou Ellen.

Ellen Hanashara também foi rainha pela Sassaricano, em 2023. Foto: José Caminha/Secom
Ellen Hanashara também foi rainha pela Sassaricano, em 2023. Foto: José Caminha/Secom

No caminho da roça em família

E foi no caminho da roça que sete integrantes da família Souza Oliveira encontraram uma festa cheia de alegria. A mãe, Dinha Oliveira, conta que começou levando as filhas Nicole, Vanessa e Andressa Souza, e a nora Vitória. Com o tempo, o filho mais novo, Bruno Souza, de 10 anos, também começou a participar e, por fim, o esposo, Welinton Oliveira também acabou como integrante da equipe de apoio.

Sete integrantes da mesma família estão na Sassaricano. A partir da esquerda: Vanessa (filha), Bruno (filho), Dinha (mãe), Welinton (pai), Nicole (filha), Andressa (filha) e Vitória (nora). Foto: Marcos Vicentti/Secom
Sete integrantes da mesma família estão na Sassaricano. A partir da esquerda: Vanessa (filha), Bruno (filho), Dinha (mãe), Welinton (pai), Nicole (filha), Andressa (filha) e Vitória (nora). Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Quando você vai para a quadrilha, se distrai e fica muito feliz. Você se alegra, esquece o que tem lá fora. É muito bom”, disse Bruno Souza, de 10 anos, filho mais novo da família e rei mirim eleito na etapa estadual no ano passado, ao lado da rainha mirim, Kemilly Vitória, de 9 anos.

Rei e Rainha Mirim da etapa estadual em 2023, Bruno Souza e Kemilly Vitória. Foto: cedida
Rei e Rainha Mirim da etapa estadual em 2023, Bruno Souza e Kemilly Vitória. Foto: cedida

Na preparação para os circuitos do ano, as irmãs Vanessa e Nicole também estão animadas com as atividades. “Antes de eu vir, eu achava muito lindo como é feito o trabalho, o acolhimento. O jeito que a gente está aqui, todo mundo junto, eu considero como minha segunda família”, disse Vanessa. “É bem legal, bem familiar, todo mundo se conhece e se ajuda. É uma quadrilha muito família mesmo. A gente está em casa”, acrescentou Nicole.

Potencial econômico

As preparações das juninas começam sempre de um ano para o outro, e vão desde a temática, figurino, coreografia, trilha musical, cores, materiais e história. “As pessoas acham que é só brincadeira, mas não é só isso. São muitas lutas para chegar até aqui, mas é algo gostoso de fazer, envolve repertório musical, coreografia, as cores que vão representar aquela história. A Liga ajuda a nos manter unidos, e os nossos jurados são capacitados para julgar a gente dentro desse contexto”, explicou a presidente da Liga das Quadrilhas Juninas do Acre, Lene Santos.

Lene Santos é presidente da Liga das Quadrilhas Juninas do Acre. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Lene Santos é presidente da Liga das Quadrilhas Juninas do Acre. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Além disso, o aspecto financeiro é significativo para o comércio local. No ano passado, com o apoio da Secretaria de Estado de Turismo e Empreendedorismo (Sete), o Arraial Cultural reuniu cerca de 60 empreendedores: “O nosso movimento contribui muito em relação aos feirantes. Todos os nossos festivais são frequentados por cerca de vinte mil pessoas. Temos capital de giro no comércio”, destacou a presidente da Liga das Quadrilhas Juninas.

Cerca de 60 empreendedores movimentaram o comércio no Arraial Cultural no ano passado. Foto: Cristian Raphael/FEM
Cerca de 60 empreendedores movimentaram o comércio no Arraial Cultural no ano passado. Foto: Cristian Raphael/FEM

Novo ano, nova preparação

Para chegar aos objetivos, também há custos financeiros para os grupos quadrilheiros. “Para colocar uma quadrilha no tablado, o mínimo que você gasta é R$ 50 mil, e esse valor pode chegar até R$100 mil, dependendo do tema. Então a gente escreve projetos para os editais na área de cultura para dar mais uma ajuda, fazemos rifas e organizamos arraiais, para ter uma arrecadação maior”, acrescentou Júnior Martins, da Sassaricano na Roça.

Juninas inscrevem projetos em editais culturais, promovem rifas e arraiais para angariar recursos. Foto: Marcos Vicentti/Secom
Juninas inscrevem projetos em editais culturais, promovem rifas e arraiais para angariar recursos. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Em meio a tantos desafios, os resultados ultrapassam o aspecto econômico e comercial, e contribuem para o crescimento pessoal e emocional, incendiando os corações quadrilheiros: “As juninas representam muito a união. Temos a rivalidade e a competição, mas elas representam uma cultura popular livre e de uma riqueza que os quadrilheiros estão aí e não ganham nada, mas vêm pelo prazer em algo que representa muita alegria. A gente leva muita alegria e entretenimento tanto para quem participa como para o público que nos vê”, ressaltou Lene.

Confira mais fotos do ensaio:

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Curitiba, PR
Atualizado às 05h02
11°
Tempo nublado

Mín. 11° Máx. 15°

11° Sensação
1.79 km/h Vento
97% Umidade do ar
100% (5.44mm) Chance de chuva
Amanhã (26/06)

Mín. 11° Máx. 22°

Chuvas esparsas
Amanhã (27/06)

Mín. 11° Máx. 21°

Parcialmente nublado
Ele1 - Criar site de notícias