Segunda, 15 de Julho de 2024 14:58
editor-sênior, jornalista Mhario Lincoln
A História Conta SEGREDOS REVELADOS

O que está escondido no Romance "Helena ", de Machado de Assis?

Equipe de pesquisa da Plataforma do Facetubes se debruça sobre o livro "Helena" de Machado de Assis e revela alguns segredos subliminares muito interessantes.

23/06/2024 08h37 Atualizada há 3 semanas
Por: Mhario Lincoln Fonte: Redação do Facetubes
Arte: MHL
Arte: MHL

 

Nota do editor. Decidi repassar um tema interessante a equipe de pesquisa do Facetubes: desvendar alguns segredos que porventura estão nas sublinhas do romance "Helena", de Machado de Assis. Claro que é um dos livros mais vendidos e mais lidos da literatura nacional, mas será mesmo que todos prestaram atenção em alguns detalhes interessantes incorporados à obra?

(Mhario Lincoln).

 

Publicado em 1876, "Helena" é um romance que pertencente à fase romântica da carreira machadiana. Originalmente lançado como folhetim no jornal "O Globo", o livro é dividido em 28 capítulos e ambientado no bairro do Andaraí, no Rio de Janeiro. A história, narrada em terceira pessoa por um narrador onisciente, faz críticas à sociedade do século XIX e explora um amor proibido.

Isso quer dizer que "Helena" é, também, um estudo profundo das complexidades humanas e das estruturas sociais. Os temas abordados continuam a ser pertinentes e provocativos, incentivando à reflexão sobre os valores e as normas que governam nossas vidas.

Aliás, Machado de Assis escreveu o romance a pedido de Quintino Bocaiuva, jornalista e proprietário do próprio jornal "O Globo".

Uma obra discutida até hoje por boa parte da população brasileira, exatamente por conter algumas discussões que até hoje são exacerbadas em muitos grupos literários e sociais do Brasil.

Antes, bom fazer um resumo de "Helena". A trama começa com a morte do Conselheiro Vale, um homem influente na sociedade, que deixa um filho, Dr. Estácio, e uma irmã solteira, D. Úrsula. Após a sua morte, é descoberto um testamento que revela a existência de uma filha natural, Helena, de dezessete anos, que o Conselheiro teve com D. Ângela da Soledade. Helena, criada em um internato, é reconhecida como herdeira legítima e deve ir morar com a família do falecido, de acordo com seus desejos expressos no testamento. O filho Estácio acata a vontade do pai e aí surge todo um elencado de questões e dúvidas.

Mas será mesmo que o desenrolar da história sugere alguns temas que ainda hoje são discutidos (ou condenados) por grande parte da sociedade brasileira?

Veja abaixo:

1 - Incesto e Amor Fraterno:

A relação entre Helena e Estácio é um dos pontos mais controversos da obra. Ambos, aparentemente, são ‘meio-irmãos’, e ao longo da narrativa, desenvolve-se uma afeição que ultrapassa os limites da fraternidade. O padre Melchior, figura de autoridade moral, adverte Estácio sobre o amor incestuoso, mesmo que inconsciente, que ele sente por Helena, revelando a complexidade dos sentimentos humanos.

 

2 - Filhos Fora do Casamento:

Helena é fruto de uma relação extraconjugal do Conselheiro Vale, que a reconhece em seu testamento. Sua chegada à casa do Conselheiro causa um grande tumulto, especialmente para D. Úrsula, que se recusa a aceitar Helena como parte legítima da família devido às suas origens duvidosas. A resistência de D. Úrsula reflete o preconceito social contra filhos fora do casamento, um tema ainda relevante na sociedade atual.

 

3 - Normas Sociais e Moralidade:

A obra questiona as normas sociais rígidas da época. Estácio, inicialmente confuso e desorientado pelos sentimentos que nutre por Helena, é confrontado pela moral religiosa e social representada pelo padre Melchior. Machado de Assis usa essa dinâmica para criticar a hipocrisia social e a rigidez das convenções que muitas vezes sufocam os verdadeiros sentimentos humanos.

 

4 - Paternidade e Legitimação:

A figura do Conselheiro Vale é central na narrativa, simbolizando a tentativa de redimir seus erros passados reconhecendo Helena como filha porque seu pai biológico chamado de Salvador, não quis legitimá-la antes. Porém, tais detalhes só são revelados em meio a relação entre Helena e Estácio, que desencadeia uma série de eventos, incluindo um amor proibido e revelações sobre a verdadeira origem de Helena. No fundo, esse dilema levanta questões sobre a responsabilidade paterna e a aceitação social.

 

Uma das capas comercializadas no Brasil.

Ponto de Vista Sociológico Atual

a - Incesto:

Nos dias de hoje, a questão do incesto continua sendo um tabu e é condenada tanto legal quanto moralmente. A psicologia moderna aponta os danos psicológicos e emocionais de tais relações, reafirmando a necessidade de limites claros dentro da família. A obra de Machado de Assis, ao trazer este tema, já forçava a sociedade refletir sobre a complexidade dos sentimentos humanos e os limites impostos pela sociedade.

 

b - Filhos Fora do Casamento:

Embora o estigma associado aos filhos fora do casamento tenha diminuído significativamente, ainda existe preconceito em certas culturas e comunidades dentro do Brasil. A aceitação e os direitos dessas crianças são agora protegidos por leis. No entanto, a narrativa de "Helena" nos lembra que preconceitos antigos ainda podem persistir de forma sutil em muitas atitudes sociais e em várias famílias brasileiras.

 

c - Normas Sociais:

As normas sociais se tornaram mais flexíveis, permitindo maior liberdade individual. Porém, as pressões sociais e familiares ainda exercem uma influência significativa sobre as escolhas pessoais. A luta de Estácio entre seus sentimentos e as expectativas sociais é um dilema ainda relevante, especialmente em sociedades que valorizam fortemente a honra e a reputação familiar.

 

d - Paternidade e Legitimação:

A responsabilidade paterna e a legitimidade continuam sendo temas importantes. A lei brasileira agora garante direitos iguais a todos os filhos, independentemente de serem nascidos dentro ou fora do casamento. A obra de Machado de Assis mostra o caminho percorrido pela sociedade em direção a uma maior justiça e igualdade, mas também nos alertou para os desafios que ainda persistem em pleno século XXI. Um mago, com certeza.

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
alcina maria silva azevedoHá 3 semanas Campinas- SPO nosso Presidente Mhario Lincoln, como sempre aborda o livro HELENA, de Machado de Assis,de forma fluente, explicando todos os fatores e preconceitos dessa magnífica obra. Parabéns Mhario! Parabéns ao nosso querido Machado de Assis!
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Curitiba, PR
Atualizado às 12h02
12°
Chuviscos

Mín. 10° Máx. 13°

11° Sensação
4.12 km/h Vento
76% Umidade do ar
100% (6.97mm) Chance de chuva
Amanhã (16/07)

Mín. 10° Máx. 12°

Tempo nublado
Amanhã (17/07)

Mín. 12° Máx. 20°

Tempo nublado
Ele1 - Criar site de notícias