Sábado, 27 de Novembro de 2021
23°

Alguma nebulosidade

Curitiba - PR

Cidades Convidados

Homenagem do imortal APB Pedro Sampaio ao pai, em versos sentimentais: "Dez Anos sem Te Vê"

Pedro Sampaio é da APB, seccional Ceará

15/11/2021 às 19h36 Atualizada em 15/11/2021 às 19h45
Por: Mhario Lincoln Fonte: Pedro Sampaio
Compartilhe:
Homenagem ao pai.
Homenagem ao pai.
Pedro Sampaio e o Pai.

Saudade não tem idade quando se trata de lembrar alguém que partiu para Eternidade. Principalmente quando esse alguém é tão importante pro seu coração, essa saudade muito dói quando se trata do Pai o teu herói, aí então peito é sempre tomado por um coração acelerado no momento em que se passa a lembrar esses momentos e tornam-se mais fortes, nas datas de referência e com muita resiliência a gente busca em Deus a Consolação o conforto e também o aceitar resignado.  Geralmente nasce um momento por Deus inspirado, para que eu posso traduzir em versos essa saudade com por exemplo em "DEZ ANOS SEM TE VÊ" Que passou a ser um poema cronológico a data avança e o tempo cronológico da Saudade hoje muda, hoje são 21 anos eu posso dizer: VINTE E UM ANOS SEM TE VÊ  como também renovo este sentimento em poesia a exemplo da de hoje no poema prece de saudade "FORÇA PRA VENCER...confira a escrita há onze anos que altera o título para o tempo somado hoje, e a escrita hoje.

 

Dez(21) Anos Sem Te Vê

     ( Pedro Sampaio)

Ah meu pai quanta saudade

Hoje sinto de você

Uma dor meu peito invade

Por vinte e um anos sem te vê

Desde que partiu pra o Céu

Eu fiquei sem meu troféu

Hoje o guardo no coração

Meu Paizinho figura querida

A quem amei nessa vida

Com carinho e afeição

 

Todos os seus ensinamentos

Eles estão sempre comigo

Como lembro nossos momentos

Meu grande Velho, Pai Meu Amigo

Fostes tu minha riqueza

Pra pobreza toda grandeza

De um homem íntegro e leal

Saiba cada sua lição de Vida

Em meu peito foi acolhida

Na luta do bem contra o mal

 

Pai a você que agora é luz

Que virou ô saudade terrena

Hoje nos braços de Jesus

Vive a paz linda e serena

Sei que estás rogando a Deus

Por nós os Filhos teus

Confortando os corações

Dos que amargam a tua ausência

Por nossa dor peça clemência

Sempre em tuas orações

 

Foi em Quatorze de Novembro

Exatamente Ano Dois Mil

Dessa data eu sempre lembro

Nela o meu Papai partiu

Para o único destino certo

Foi pra Deus, Seu Adalberto

E hoje meu peito muito dói

Como que saudade de um herói

Homem bravo e de valor

Meu "Betinho" figura querida

A quem respeitei nessa vida

Por quem é infinito o meu amor.

 

     "Força Pra Vencer"

Saudade atinge, a total maior idade

Há vinte e um anos, explodia meu coração

Foi plantada, semente dessa saudade

Ao Deus chamar, o meu Pai à sua Mansão

 

Partiu no dia da festa da sua vida

Do Padroeiro, São Gonçalo do Amarante

Em meu peito se abriu uma ferida

Sem cicatriz, e que dói a todo instante

 

Essa dor, só Deus me ajuda a suportar

Seu cheiro, seu abraço, eternamente vou lembrar

Todo dia, à toda hora, nos anos que eu viver

 

Meu velho Pai, me abençoe a cada dia

O teu exemplo, será sempre o meu guia

E o teu amor, é minha força para vencer 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias