Quarta, 26 de Janeiro de 2022
24°

Nuvens esparsas

Curitiba - PR

Geral Sábado Poético

Sábado Poético especial, Ahtange Ferreira

Facetubes.com.br, direto do Maranhão.

15/01/2022 às 08h15
Por: Mhario Lincoln Fonte: Poesias e Prosa
Compartilhe:
Ahtange Ferreira
Ahtange Ferreira

Especial Sábado Poético:

Hoje, alguns insights da aplaudida romancista Ahtange Ferreira.

Formação: Bacharel em Teologia. Licenciatura plena em Ciências da Religião. Especialista em Educação Especial. Pós-graduada em:Psicopedagogia Clínica e Institucional. Língua portuguesa e Literatura. É Palestrante, professora e membro fundador da ACADEMIA DE LETRAS DE PAÇO DO LUMIAR. Lançou seu primeiro romance em 2012, Marcas Indeléveis, seguido de Psicopatia em 2013, Clandestino Amor em 2014, Teu Olhar em 2015 e Soraia em parceria com Histarley Monte Negro em 2016. Em 2019 Flor do Brasil. Ahtange é muito sonhadora, romântica, adora ler, tem fome de ler, embora não disponha de tempo para isso.  Drama é seu nome do meio. Ama romance, Sheldon é seu grande ídolo assim como Camilo Castelo Branco. Ahtange Ferreira é mãe, professora, ama educação infantil, é contadora de histórias e sonha em um dia viver de escrever. Todos os seus livros são construídos a partir de fatos, estudos de casos, pesquisa e investigação, cada um trás um tema: entre eles; violência doméstica , TOC, TDAH, psicopatia, distúrbios de comportamento a sexualidade enquanto comportamento. EU ESCREVO PARA TOCAR FERIDAS. - diz ela, mas a leia nas entrelinhas é lá que ela diz o que quer dizer. Não gosta de escrever direto no computador, antes rabisca suas histórias em cadernos ou agendas.Tem um probleminha de memória, esquece o nome dos personagens e tem grande dificuldade de nomeá-los. E escrever é sua vida.

EXCERTOS do livro "Flor do Brasil", livro II, da série Marcas

Meus dias são frios...

E a cada novo amanhecer, só encontro ao meu lado a

saudade fria a envolver meu ser e não me deixa esquecer

que já não tenho você...

Ainda sinto tua presença tão viva em mim...

O que fazer se nossa canção agora machuca meu

coração... E eu sou apenas uma nota... num rabisco

fragmentado, no canto esquecido.

Eu queria... O aconchego dos teus braços...

Os sussurros dos teus lábios ou meu ouvido enquanto me amavas...

E em mim se fazia morada...

Hoje sou apenas saudade derramada no vazio...

Que se fez em mim sem ti.

******

Instantes de mim...

E assim...

Ao me derramar intimamente em forma de letras no papel

borrado da minha saudade, tentando me reconstruir

em cada vírgula, para no abismo da tua ausência não

sucumbir... Sinto-me como num estado de torpor, uma

sensação tal qual eu não sei explicar, apenas sinto um

vazio e uma inquietação no íntimo, vindo de uma série de

eventos derradeiros, causando-me angústia e fraqueza no espírito.

Como nos deixamos levar por intrigas e sentimentos

contraditórios, meu coração sente no fundo uma certeza,

então os olhos, influenciados pela aparência, perturbam

todo meu ser com dúvidas e incertezas...

Incertezas que se alojam na alma, palavras ao vento,

sentimento inconstante, inconciso, maldito em mim, nas

entranhas sedimentado, latente...

Ah... Quisera eu fugir para qualquer lugar...

Onde pudesse tão somente me encontrar no aconchego do

teu peito e descansar na paz e calor do teu corpo...

E qual não é meu desespero, esse lugar não existe mais!

Deus! Ai de mim e fugir já não posso. Lutar já não tenho forças...

Já não sei ser metade, você era meu todo.

Um todo perdido no vazio pelo destino imposto, mas

inaceitável em mim sem ti.

 

********

Hoje busquei algo que não lembrasse você em mim...

Em vão revirei minhas gavetas e em cada uma delas, lá

estava você...

Surgiram lembranças, promessas e juras de amor...

Quando estamos apaixonados o eterno parece tão certo,

tão presente...

E tudo que somos e temos são certezas coloridas...

Embaladas por um sonho de amor.

Meu anjo, quando você chegou tudo na minha vida

mudou.

Se via o mar, nas ondas que vem e vão, lia tuas palavras,

que em profusão derramavas em meu coração.

Se via o pôr do sol, lá estava o brilho do teu olhar

refletindo meu rosto no espelho da tua saudade.

Na chuva, sentia cada gota como os beijos que tu

sonhavas em depositar em meus lábios.

Como dizias, amor, cada brisa que me tocava era tua

saudade que me beijava suavemente.

Assim nosso amor crescia, se fortalecia e se perpetuava

em nossos corações. Agora tudo que tenho são

lembranças que me mantém viva.

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias