Sábado, 24 de Outubro de 2020 23:32
[email protected]
Geral NOVOS LIVROS

O Maranhão é uma grande mentira? Edmilson Sanches desmistifica em novo livro

São três obras históricas. Hoje, mostramos a resenha de duas delas.

07/10/2020 20h32 Atualizada há 2 semanas
243
Por: Mhario Lincoln Fonte: Releases do Autor
Escritor Edmilson Sanches
Escritor Edmilson Sanches

Edmilson Sanches: novos lançamentos

Até a próxima semana devem estar impressos os novos livros do jornalista, administrador, consultor e palestrante Edmilson Sanches. Um livro é técnico, sobre Administração Pública, e três sobre assuntos da História e Cultura maranhenses (veja abaixo). A Editora Estampa entrega esta semana em São Luís parte da tiragem de três das quatro novas obras, cujos exemplares serão em breve enviados pela Secretaria de Educação do Maranhão para escolas estaduais e outros órgãos públicos. Os livros serão vendidos a 35 reais a unidade (50 reais, com despesas de embalagem e remessa pelos Correios, com número de registro rastreado via "site" dos Correios). Interessados podem fazer reserva pelo WhatsApp / celular (99) 9.8405-4248 ou e-mail: [email protected] São estes, dois dos novos novos lançamentos:

 

 

A Canção do Brasil

A CANÇÃO DO BRASIL

 

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá;

As aves, que aqui gorjeiam,

Não gorjeiam como lá.

[...]

 

“A CANÇÃO DO BRASIL”, provavelmente o primeiro livro brasileiro a fazer resgate sobre a importância, influência e impacto da poesia “Canção do Exílio”, do poeta maranhense Gonçalves Dias, em autores na Literatura Brasileira e de Língua Portuguesa.

Por que a “Canção do Exílio” é ou tornou-se tão popular? O que nela há que leva outros escritores, poetas, autores a apropriarem-se honrosa e honradamente, humilde e humoradamente do título e dos versos dela em títulos e em versos deles? 

Livros de poesia e prosa, obras teatrais e musicais (e nem se fale da profusão de trabalhos acadêmicos, da graduação ao pós-doutorado)  --  são muitos os esforços e realizações intelectuais, culturais, artísticos, literários, musicográficos sobre ou inspirados naquele poema gonçalvino.

Que magia, fascínio, encantamento se esconde e se revela por aquelas cinco estrofes (três quadras ou quartetos e duas sextilhas) com 24 versos, 113 palavras, 487 letras?

 

O Maranhão não é uma Mentira.

O MARANHÃO NÃO É UMA MENTIRA

Um trabalho sobre a vida e obra do padre jesuíta José de Moraes (1708-1759) e das origens da falsa atribuição do sinônimo “mentira” à palavra “Maranhão”, e a participação do famoso pregador padre Antônio Vieira na construção desse mito até hoje repetido. Sanches foi buscar as origens e desfazer o erro histórico que atribui aos maranhenses a pecha de “preguiçosos”. Ele é diretor do Instituto Histórico e Geográfico de Caxias e membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM), onde o conteúdo foi inicialmente apresentado, sob elogios gerais. A obra tem apresentação do ex-reitor da UEMA, diretor do jornal “O Imparcial” e desembargador aposentado Arthur Almada Lima Filho, decano do IHGM , educador e autor de vários livros que integram a Historiografia maranhense.

Por que atribuem a “Maranhão” o significado de “mentira”? Por que atribuem aos maranhenses a pecha de “preguiçosos”? Há alguma verdade nisso? Ou tudo isso é uma grande mentira? O que o padre Antônio Vieira tem a ver? Ele foi injusto, maldoso? O que a Etimologia e a História podem contribuir.

3 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias