Sábado, 27 de Novembro de 2021
23°

Alguma nebulosidade

Curitiba - PR

Brasil Membros da APB

Luiza Cantanhede, imortal da Academia Poética Brasileira, responde ao site "soumasugestao.com.br"

Luiza é ganhadora de vários prêmios na carreira Literária. Recebeu em 2019 o "Prêmio Destaque Nordeste" categoria poesia, em Pernambuco.

04/11/2021 às 21h07 Atualizada em 04/11/2021 às 21h21
Por: Mhario Lincoln Fonte: Especial: Luiza Cantanhede
Compartilhe:
Luiza Cantanhede, APB
Luiza Cantanhede, APB

 

 

 
 
Luiza Cantanhede, da Academia Poética Brasileira.
 
 
 

 

1.Como você escreve? Falando do seu processo de criação.

 
Desde que tive contato com a "Linguagem literária" ler e escrever tornou-se tão vital para mim, quanto o ato de respirar. A linguagem poética é o que me move, a poesia desabrocha em mim de várias formas e/ou situações; apesar do meu profundo respeito e leveza com a palavra, escrever, muitas vezes é angustiante, afinal, mesmo despretensiosamente você vai expor ao mundo, alguns sentimentos ou sentires que há um minuto atrás você julgava serem apenas seus.
 

O chamado da poesia acontece em várias situações, vários espaços, cenários: Pode ser em casa, na fila de um banco, num consultório médico, às margens de um rio...Nos chamados "fora de hora" eu faço algumas anotações, muitas das vezes pelo celular, depois vamos aparar as arestas e dar vida ao poema.

 

Para escrever prefiro a madrugada, quando se desliga todos os barulhos externos e eu possa ouvir o que a palavra poética tem para me dizer. Ao iniciar um livro não tenho um tema específico, após escrever vários poemas, sigo João Cabral de Melo Neto: "cato meus melhores grãos" e os publico.

 
 

2- Que obras literárias influenciaram sua carreira, sua vida?

 
Estas "fluências" permanecem inacabadas e serão sempre uma constante…
 

O meu processo de leitura iniciou-se muito cedo, ainda adolescente, li Gabriel Garcia Márquez, Guimarães Rosa, Graciliano Ramos, Vladimir Nabokov, Aldous Huxley e tantos outros… Hoje sigo relendo alguns clássicos e lendo os contemporâneos, com o privilégio de alguns serem amigos queridos.

 

Foram muitas as leituras que me marcaram e me atravessaram, pra não ser muito longa eu destaco algumas destas que imprimiram em mim o espanto e o encantamento:

 

-A paixão segundo G.H

 

(Clarice Lispector)

 

-A confissão de Leontina

 

(Lygia Fagundes Telles)

 

-Cem anos de solidão

 

(Gabriel Garcia Márquez)

 

-Admirável mundo novo

 

(Aldous Huxley)

 

-Lolita

 

(Vladimir Nabokov)

 
 
 

3- Só uma sugestão que você daria aos escritores iniciantes?

 
Leiam muito, sejam desprendidos e procure assimilar mais ou menos o que diz Charles Bukowski no poema abaixo: (...) bata na máquina bata forte faça disso um combate de pesos pesados faça como um touro no momento do primeiro ataque e lembre dos velhos cães que brigavam tão bem: Hemingway, Céline, Dostoievski, Hamsun. se você pensa que eles não ficaram loucos em quartos apertados assim como este em que agora você está sem mulheres sem comida sem esperança então você não está pronto.
 
------------------------
QUEM É LUIZA CANTANHEDE?
Formada em Contabilidade. É membro fundadora da Academia Piauiense de Poesia; da Associação de jornalistas e escritoras do Brasil-MA; Membro da Academia Poética Brasileira; da Sociedade de Cultura Latina do Maranhão. Tem poemas publicados em antologias nacionais e internacionais. Publicou os livros de poesia “Palafitas” (Editora Penalux,2016, Amanhã, serei uma flor Insana"(Editora Penalux,2018) e "Pequeno ensaio amoroso" (Editora Penalux,2019). Há tradução de sua poesia para o italiano e espanhol. Com vários prêmios na carreira Literária, recebeu em 2019 o "Prêmio Destaque Nordeste" categoria poesia, em Pernambuco.
 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias