Quarta, 26 de Janeiro de 2022
24°

Nuvens esparsas

Curitiba - PR

Especiais Especial de Natal

Prof. Edmilson Sanches e o (Re)nascer do Natal

Autorizada a publicação pelo autor.

25/12/2021 às 18h18
Por: Mhario Lincoln Fonte: Facetubes.com.br
Compartilhe:
Edmilson sanches em Montagem deML
Edmilson sanches em Montagem deML

(RE)NASCER NESTE NATAL E NO QUASE ANO NOVO

*Edmilson Sanches

É bom completar um ano, uma missão.

É bom estar e sentir-se bem. 

Dever a bancos, mas não dever à consciência. 

Ser movido a desafio, e não a dinheiro. 

Estar na sede do poder, mas não ter sede dele. 

Não prejudicar, se não puder ajudar. 

Não roubar. Não chantagear. Não iludir.

Abraçar, não apunhalar.

Estender as mãos para auxiliar, não para extorquir. 

Elevar, ao invés de fazer cair. 

Não buscar fora, no mundo, o que só se acha dentro do próprio ser.

Sobreviver após a vida e, ao ser lembrado, sê-lo com a lágrima, não com o cuspe. Com reconhecimento, não com desmerecimento. 

Ser lembrado com saudade. Uma saudade que até possa ser brindada com um sorriso que imortaliza, não com o só riso que ironiza. Uma saudade que diga que valeu a pena a nossa existência.

Assumir, doce e espontaneamente, a ingenuidade. E não se conformar com a esperteza, a malícia, a corrupção, a violência, o desrespeito, que só escavam para si côvados de cova.

Que bom enfrentar as dificuldades  --  e que ótimo não criá-las para os outros. 

Ser bom. Se possível, ser com. 

Ser humilde, mas não humilhado. Ousado, não usado. 

Incomodar-se, mas não se acomodar.

Ser um ser de esperança; portanto, um ser de inquietudes e angústias sadias. 

Ser fúria e ser forte ante a violência menor; mas ser manso e criança ante o Mistério Maior. 

Silenciar, quando estratégico; mas gritar, bramir, bradar, rugir, quando indispensável. 

Reconhecer-se feito à imagem e à semelhança de Quem o fez, embora sem a perfeição do Bem/Feitor. Ter consciência de que é filho de Deus, não o próprio Deus.

Lembra-te, ó, ser humano: Tu não te tornarás pó  --  tu ÉS pó. 

És barro, és borra, és berro. Chega de birra...

És pá

És pé.

És pó. 

A terra que violentas é tua mãe. O solo que pisas é teu irmão. Tu és homem, tu és húmus. 

Entretanto, o essencial de ti não veio com o barro. Veio com o toque cálido dos lábios soprando o sopro vívido de Deus. 

Tu és a tua alma. E ela é só o que tu tens  -- para, espera-se, devolvê-la, ao final de tudo, a Deus. Adeus.

Feliz Natal para você. 

E, daqui a uma semana, bom 2022

--------------------

*EDMILSON SANCHES

[email protected]

edmilson-sanches.webnode.com

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias