Quinta, 19 de Maio de 2022

Poucas nuvens

Curitiba - PR

Cidades SAMUEL BARRETO

A Homenagem do poeta Eloy Melonio, da Academia Poética Brasileira a Samuel Barreto

Cinzas e Poesia

15/07/2020 às 11h26 Atualizada em 15/07/2020 às 12h05
Por: Mhario Lincoln Fonte: Eloy Melonio
Compartilhe:
Evento em São Luís.
Evento em São Luís.

NE: O Portal MHLB abriu espaço para as homenagens ao poeta Samuel Barreto, falecido esta semana (13-7-2020). Desta feita, a pena incrivelmente humana e realista do poeta Eloy Melonio, confrade de APB:

 

 

CINZAS E POESIA

(Eloy Melonio)

 

A noite foi só tristeza e poesia.

 

Mas a manhã, por que se acinzentou?

Por que se ofuscou com a luz do dia?

 

Se o sol permitiu que nuvens cinzentas

se enfeitassem com essa cor

foi porque lhes dera a nobre missão

de pôr seu nome no mais alto panteão.

 

Porque a sua alegria nos enfeitiçava.

Porque o seu sorriso nos contagiava.

Porque o seu canto nos deslumbrava.

 

E a sua poesia não cessa de cantar.

 

Como muitos na história da vida,

foi-se mais um dia nas cinzas do tempo.

 

Ele era um pouco de quase tudo.

 

Da Pedreiras, seu sagrado chão.

Das águas do Mearim.

Da golada do amigo João.

 

Papel, cinzento da cor do céu.

Rima de poema, verso de cordel.

 

Por toda a vida, um menestrel.

Hoje e eternamente, nosso poeta Samuel.

___ 

(*) Homenagem póstuma a Samuel Barreto (8-1-1968 I 13-7-2020)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias