Sexta, 23 de Outubro de 2020 05:06
[email protected]
Cidades DE OLHO NA ILHA

EXCLUSIVO. Mulher Babaçu DE OLHO NA ILHA

Colunista exclusiva, desde a cidade de São Luís-MA

20/09/2020 19h17 Atualizada há 1 mês
475
Por: Mhario Lincoln Fonte: Mulher Babaçu
Mulher Babaçu
Mulher Babaçu

COLUNA DA MULHER BABAÇU: De Olho na Ilha

 

(*) Aí, ai, ai. Essa cidade me dá uma grande dor de cabeça quando vejo as coisas começarem a se acabar, assim, por falta de segurança. Eu apelo às autoridades para ver se nossa cidade volta a ser bonita como sempre foi.

(*) Vocês se lembram da luta incessante do ator performista Uimar Jr, na tentativa de fazer voltar a estátua da Mãe-D’água ao seu lugar de origem: a fonte luminosa na praça D. Pedro II, em frente à Catedral Metropolitana. Tanto mexeu, mexeu tanto, bisbilhotou, foi atrás, perturbou as autoridades, que conseguiu essa vitória. A Mãe D’água está agora linda e iluminada na praça. Parabéns às autoridades que entenderam o apelo. Beijoca para todos e todas que contribuíram. Arrrazzzou!

Depois da luta, voltou a embelezar a praça.
A escultura estava no Museu, empoeirada.

(*) Na época da campanha suada de Uimar, vários artistas adeririam à causa e o jornalista Mhario Lincoln, de Curitiba, escreveu: “UIMAR JUNIOR ator performista, ativista cultural maranhense, vencedor de prêmios do Hotel Glória, no Rio de Janeiro, com talento reconhecido no Brasil e fora dele, decidiu fazer uma performance pública, protestando contra a retirada da fonte luminosa da praça D. Pedro II, em São Luís-Ma, ícone de uma das melhores épocas vivenciadas pelos ludovicenses e por inúmeros turistas que visitavam a capital do Maranhão até pouco tempo. Uimar Junior afirmou por telefone que a Fonte Luminosa da Mãe D'água, então montada em frente da Catedral Metropolitana da cidade, havia sido construída para mostrar a exuberância da época, somando-se às belezas de outras fontes e pontos turísticos da Ilha dos Amores. Porém, uma autoridade pública municipal, após anos de abandono, invés de recuperar, arrancou o monumento, jogando-o em um canto no Museu Histórico de São Luís. Uimar foi lá e verificou as reais condições da principal peça, a Mãe-D'água, feita em bronze, cujo autor é maranhense e se chama Newton de Sá. Essa escultura ficava no centro da fonte, cercada de holofotes de diversas cores, enquanto jorravam jatos d’água que pareciam dançar com os ventos. "Isso é uma vergonha o abandono dessa peça de arte, relegada ao tempo, num dos terraços do Museu. Por isso, faço meu protesto, logo mais...", disse Uimar Junior, membro da Academia Poética Brasileira, Cadeira de número 23.

 

(*) Tempos depois e muito choro e vela, o monumento voltou ao seu lugar de origem e foi reinaugurada em grande festa. Ufa, deu trabalho, mas o danado do Uimar e toda uma galera do bem, conseguiram. Uau!

  

(*) Graças a uma parceria com a ‘Personal Organizer e designer Marília Aranha’ a Fundação Antônio Dino conseguiu concluir mais um objetivo próprio: agora tem uma fábrica de perucas tão importante para quem recebe tratamento de câncer, não é mesmo? Aproveito a oportunidade para lembrá-los que O Hospital do Câncer (Aldenora Bello) está aceitando doações de cabelo, para a produção de perucas na instituição. Mas é necessário seguir algumas orientações de como cortar e doar. Procure mais informações. #FundacãoAntonioDino #perucas #doeseucabelo #doacaodecabelo #todoscontraocancer. (Até me emociono com essas coisas).

 

Olha como está o abrigo da Praça...

(*) Gente, quem conhece São Luís do Maranhão sabe que no Largo do Carmo, a principal praça de São Luís, chamada de João Lisboa, tinha um abrigo com várias lanchonetes de fim de noite. Baratas e que serviam para alimentar parte dos ambulantes que vendiam na rua Grande (rua do Comércio), que desemboca na praça. Não só ambulantes. Mas boa parte da população de baixa renda. Era famoso o pão com ovo e garapa. Mas, de uma hora pra outra, tiraram tudo. E até agora ninguém decidiu o que fazer. Aí apelidaram o local de “Titanic” (foto). Que coisa, né??? Tô beje!

 

(*) Há mais de 30 anos, nessa mesma praça João Lisboa/Largo do Carmo, tem um relógio de acrílico mandado fazer pelo ex-governador João Castelo, já falecido. Ficou muito tempo sem funcionar. Agora tão decidindo que vão melhorar a iluminação da praça, que tava o ó do borogodó e consertar o relógio. Hummmm. Será???

 

(*) Tristeza completa. Nem bem inauguraram a nova Praça Deodoro, em frente à Biblioteca Pública do Estado do Maranhão a coisa começa a degringolar de vez. Desocupados agora estão fazendo de cavalinho as bases que sustem os bustos dos imortais maranhenses. Um dos pedestais já não tem mais o busto. E é exatamente o de Josué Montello. Liguei lá e eles disseram que uma cola (de procedência alemã) estava desgastada e por isso o busto de Montello estava correndo risco de ser roubado. Aí os responsáveis foram lá e tiraram o busto para guardar. Mas o que acontece é que quando essas obras importantes para a cidade são entregues, deveriam ter fiscalização através da Guarda Municipal. Onde estão esses guardas? Alguns dizem que os guardas municipais estão nas portas das escolas. Ótimo. Mas, e o patrimônio público? Também não merece atenção?

 

(*) O que se vê é que – exatamente por falta da polícia municipal – o patrimônio começa a ser violado por depredadores e pessoas do mal. É triste ver um cenário tão bonito se desfazendo diante de nossos olhos. Eu tirei as fotos de desocupados fazendo cavalinho dos monumentos. Mas fico com vergonha de publicar isso.

 

(*) Acho que não ser preciso lembrar às autoridades quais as funções da Polícia Municipal, né? Mas só para esclarecer: “Na Carta Magna, em seu artigo 144, § 8º, ao estabelecer atividades, órgãos e atuação frente à segurança pública e à incolumidade das pessoas e do patrimônio, preconiza a responsabilidade de todos, e principalmente do "Estado" (União, Estados, Distrito Federal e Municípios), sendo um direito e responsabilidade de todos. Em suma, o município tem responsabilidade pela segurança pública, o pode fazê-lo através de Guarda Municipal por expresso dispositivo constitucional que incluiu como órgão na segurança pública. Assim, as Guardas Municipais tem a função principal de proteger os bens, serviços e instalações, nos termos da lei, cuja função é de extrema relevância, (...)".  Taí pra todo mundo ler, o que diz  a Constituição Federal. Arrazeiiii!

 

(*) Na mesma praça dos busco recém-reformados, 4 placas explicando cada um dos imortais maranhenses foram depredadas. Só ficou o lugar. E assim, a recém-inaugurada Praça do Panteão (Deodoro) vai se diluindo lentamente até desaparecer num mar de descasos. Uma pena, mesmo!

 

(*) Não estou fazendo propaganda. Mas São Luís precisa urgentemente de um vereador que ame São Luís e faça nossa Ilha do Amor voltar a florescer. Pelo amor de Deus. Vamos votar certinho!

 

(*) ATENÇÃO: Na próxima coluna eu vou falar de um borogodó grande que aconteceu com um índio da etnia Tupinambás, do Maranhão, mandado para a Paris. Na volta ele ‘causou’. E aí, com a época era bem rígida, acabou se dando mal. Aguardem!

(*) Se vocês como eu, gostam de São Luís então, se virem alguma coisa errada, manda pra mim: Mulher Babaçu. Email: [email protected]

6 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias