Quinta, 19 de Maio de 2022

Nuvens esparsas

Curitiba - PR

Cultura In Memoriam

Sarau em Homenagem ao poeta Geraldo Magela (APB-PR)

Coordenação: Joema Carvalho (APB-PR)

16/04/2022 às 21h02 Atualizada em 17/04/2022 às 10h43
Por: Mhario Lincoln Fonte: Joema Carvalho
Compartilhe:
Geraldo Magela (Foto: Décio Romano).
Geraldo Magela (Foto: Décio Romano).

AO GERALDO MAGELA, POEMAS

Coordenação: Joema Carvalho

Ato final

Para Covid não haverá mais velório com ostentação. ..vieste nu ao mundo e voltarás sem vestes... nu no caixão...mantenha distância  agora és um cadáver sem importância...

Ficará só lembranças eternizadas por compaixão...um ou outro amigo te lembrará para sempre no coração...na lápide estará escrito: " aqui jaz um cidadão que viveu com emoção"

 (Geraldo Magela)

*************

Maria José da Silva/APB-RIO

Homenagem

Nosso amigo Magela não morreu.

Ele apenas adormeceu!

Os Anjos o levaram... 

Para morar lá no Céu.

 

Um Poeta sempre Poeta 

Jamais deixa de brilhar,

O nosso Poeta Magela 

Como Estrela vai Brilhar! 

E lá no Céu Poetizar.

Maria José da Silva

****************

Raimunda Frazão (APB/MA)

OUTRO PLANO

Geraldo Magela hoje

Para outro plano seguiu,

Sentiremos sua falta 

Aqui em nosso Brasil,

Com louvor aqui na Terra

A sua missão cumpriu!

Raimunda Frazão

*************

Daniel Maurício/APB-PR.

 

Ah, 

Lá se vai o Magela!

O céu pra ele não tinha tramela

Pois de lá, já era cidadão.

Sempre alegre e irreverente

Foi cutucando nuvens,

E nem podia ser diferente

Fazendo até anjo rir.

E ria feito criança

Feliz com a bem aventurança,

Os mistérios

Foi antes descobrir.

Amansador das palavras

As abraça como a mulher amada

Fazendo delas, poesia verter.

A Feira do Poeta,

A Feira do Magela,

Nunca mais será tão bela

Sem o seu eterno Coordenador.

Daniel Mauricio

* Homenagem ao meu nobre amigo poeta Geraldo Magela Cardoso

**************

(E):Pedro Sampaio/APB-CE.

UM PALADINO

Amado Geraldo Magela

Mineirinho, lá de Guaraciama

E que, Curitiba tanto amou

Sua arte, hoje grita e proclama

Que aqui, a saudade se instalou

 

Ator, Escritor, Editor, Poeta, Compositor

Que sempre teve, as artes como meta

E o que fazia, era intenso no amor

Tinha "a cara" da Feira do Poeta

 

Boca Maldita, doravante desfalcada

Intelectualidade, está toda enlutada

Pranto saudoso, "escancara sua janela"

 

A Academia, Poética Brasileira

Solta lágrimas na saudade doedeira

Por seu amado, Geraldo Magela.

Pedro Sampaio

 

Outra vez, digo pra reafirmar:

"Eu perdi quem eu não queria perder.

Mas perdi para o Céu poder ganhar"

Um Paladino

Um Curitibano, Movimento

Que alcançou suprema meta

Veloz, tal qual o pensamento

É assim a Feira do Poeta

 

Geraldo Magela, é o mentor

Homem, que se faz um Paladino

E luta pra mostrar todo valor

De cada Poeta em seu destino

 

Magela fez a Poesia Popular

Em Curitiba, vir se destacar

E mostrando toda sua maestria

 

Pondo fim, à tal discriminação

O Movimento, estimula a produção

Promovendo o Poeta a cada dia

Pedro Sampaio

*****************

Iracema Alvarenga(Convidada).

MARCAS

Geraldo Magela Cardoso

Deixou marcada sua trajetória. 

Faz parte da história. 

Magela

Semeador de palavras,

Emoções,  reflexões 

O riso, as brincadeiras

As reflexões,  os questionamentos 

As palavras benditas de esperança 

Amor, fraternidade,  amizade.

O instante do viver.

Lembranças  infindas que surgem

Trazendo marcas no coração,  na mente.

O relembrar das horas vividas, sentidas

Com alegria, nostalgia. 

Momentos vividos

Alegres , sofridos

Marcantes, intensos , poéticos. 

 

Ao poeta Geraldo Magela  - in memoriam

Iracema Alvarenga

************

Marcia Prado (Convidada).

"Poeta, segue o fluxo do rio da vida. Deixaste viva tua bela obra antes da derradeira partida. Agora, junto ao som e silêncio das muitas águas, ecoa teu verso, imerso no Universo das palavras."  (Márcia M. Wojcichoski Prado).

 

*************

 

De: LUCIAH LOPES, "UM BREVE ADEUS"

Luciah Lopez/APB-PR.

Abriu-se o mundo do silêncio

e o poeta calou a sua voz.

Quisera fosse mentira 

que a morte ceifou a poesia

e a Feira do Poeta de luto se cobriu.

 

Órfã  ficou a poesia

um inacabado poema de vida

para sempre escrito em nossos corações

aguando os nossos na tristeza das lágrimas...

 

Cabe a nós,  os seus amigos

seguir na caminhada

cuTUCando a Inspiração

para sempre "magelando" aos domingos

enganar a saudade deste grande poeta

que junto aos anjos 

resolveu fazer sua  morada.

 

Lá de cima, os teus versos

caem como chuva

num refrigério para nossas almas

mostrando a todos 

que a poesia suplanta a tristeza 

até mesmo da morte.

Luciah Lopez / APB

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias