Sexta, 04 de Dezembro de 2020 11:31
[email protected]
Brasil DIA DO POETA

Acadêmico Jorge Cruz,(APB/PE) indica texto sobre Dia do Poeta. Data: 20.10

Jorge Cruz é da Academia Poética Brasileira

20/10/2020 13h05 Atualizada há 1 mês
248
Por: Mhario Lincoln Fonte: Indicação:Jorge Cruz/https://www.calendarr.com/
Poeta Zé Dantas (PE) com seu Luis Gonzaga. (Foto Google).
Poeta Zé Dantas (PE) com seu Luis Gonzaga. (Foto Google).
Cruz e esposa.

Sugestão: acadêmico Jorge Cruz, da Academia Poética Brasileira.

Dia do Poeta

O Dia do Poeta é celebrado anualmente em 20 de outubro.

Esta data celebra o profissional, que pode (e deve) ser reconhecido como um artista escritor, que usa de sua criatividade, imaginação e sensibilidade para escrever, em versos, as poesias que faz.

O principal propósito desta data é incentivar a leitura, escrita e publicação de obras poéticas nacionais.

Há séculos as pessoas se emocionam, riem e choram com essas belas produção artísticas, consideradas como uma das Sete Artes Tradicionais.

Origem do Dia do Poeta

O Dia Nacional do Poeta é comemorado a nível extraoficial, ou seja, não há uma lei que oficialize o 20 de outubro como Dia do Poeta no país.

Mas, a data foi escolhida por uma razão bastante especial para os poetas brasileiros. No dia 20 de outubro de 1976, em São Paulo, surgia o Movimento Poético Nacional, na casa do jornalista, romancista, advogado e pintor brasileiro Paulo Menotti Del Picchia.

A data homenageia e lembra este momento ímpar para os poetas do Brasil.

Para saber sobre personalidades essenciais da poesia nacional, leia: Poetas super importantes da literatura brasileira.

 

Curiosidades sobre o Dia da Poesia

Antigamente, a poesia era cantada e acompanhada pela lira, um instrumento musical típico da Grécia. Por isso, a poesia é classificada como pertencente ao gênero lírico da literatura.

Os poetas ainda celebram o 31 de outubro como o Dia Nacional da Poesia, oficializado através da lei 13.131, de 3 de janeiro de 2015. A escolha desta data é uma homenagem ao nascimento do poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade.

Antes da criação da lei que oficializa o Dia Nacional da Poesia em 31 de outubro, esta era celebrada em 14 de março, em caráter não-oficial.

A escolha desta data era uma homenagem ao poeta brasileiro do romantismo Castro Alves, que nasceu em 14 de março de 1847.

Ainda existe o Dia Mundial da Poesia, em 21 de março, que celebra a nível internacional este gênero artístico. Esta data foi criada durante a XXX Conferência Geral da UNESCO, em 16 de novembro de 1999.

 

Poetas convidados:

 

JB do Lago.

Poeta João Batista do Lago

ODE A SÃO LUIS

Ó tu, leito-mãe dos Tupinambás
Reina dos mares do Sul, sois vós
Vitoriosa, oh! amada Upaon-açu
Carregas nome e cetro de realeza
N’alma saber e virtude de Atenas
No peito o brasão de viva Natureza

Ó tu, São Luís – Ilha dos Amores!
Amada de francos, lusos e neerlandeses
Sois vós o encanto de Arúspice
Profeta da vossa eterna glória e pureza:
– Vosso destino é conservar em si toda beleza
serás deste teu Orfeu a eterna Eurídice

Ó tu, São Luís – Jamaica brasileira
Sou-vos grato pela vida inteira pois
Sabei-vos de muitos ser uma só pessoa
Jamais vos deixaste vencer. Sois guerreira!
Ainda que vos queira estuprar o monstro da modernice
Haverá sempre um filho teu que não fugirá a luta

Ó tu, São Luís – Cidade dos Azulejos
Perdoai o jugo da desgraçada sorte (e)
Tomai por exemplo o Cristo da hora da morte
Perdoai os filhos que vos sangra em realejos
Todos serão defenestrados, enfim, para que
Possamos amar-vos entre ruas e curvas de azulejos

 

 

A Néres.

Final perfeito!

ANA NÉRES

Uma ideia paira sobre minha cabeça
Um som persiste em soar aos meus ouvidos
Meus pés andam por pegadas invisíveis
Por um caminho que a tudo transpõem
Mas que nunca pude saber a que vai dar
E nessa história cheia de incertezas
Sou apenas mais um que segue a intuição
Nessa trilha onde me junto a muitos outros
Compartilho versos e conversas a perder de vista
Numa missão que não sabemos ao certo
Sequer onde se termina ou se inicia
Mas é única a certeza... vai dar em poesia!

Ana Néres Pessoa
#anplg 

 

F. Baia.

EU SABIA

 

Francisco Baia

 

Eu sabia desde o balançar

Do balouço, que as cordas 

Que o asseguravam estavam

Puídas e a queda seria inevitável,

Entretanto pela vitalidade pueril,

Levantarias sem escoriações e seguiria

Teu caminho, tua missão, tua vontade.

 

Eu sabia através dos gestos, trejeitos,

Que o teu jeito era diferente, embora

Não mudasse nada em minha mente, afinal

A comida que gostas de degustar, eu sempre

Morro de fome.

 

Eu sabia que o futuro estaria literalmente

Mais distantes de nós, pois o presente se 

Manifestava  estático, atado com fortes nós,

E nós, como estátuas frias  perecemos dia a dia.

 

Eu sabia quando chegavas batendo em minha 

Porta, que a intenção de adentrá-la, não era pra

Arrumar a casa, nem tão pouco pra se fazer inteira

A mim, mas sim, desmontar pensamentos meus, 

Organizados, preparados pra vida, todavia era eu

Que ia receber-te nas asas da minha poesia,

Completamente louco.

 

Eu sabia, eu sei de tudo, mas não importa se

Estás dentro ou fora, acompanhada ou só, o

Mais crível que mesmo assim, te anseio de volta.

 

 

Caption

ENCANTAMENTO

    Autora: Nauza Luza Martins

 

Me encante com esse seu sorriso

Maroto, atraente e sedutor

Com seu silêncio,

Seus toques e sussurros

Me provoque

Com esse seu jeito extravagante

De se expressar

Sem palavras nesse instante.

 

Por esse encantamento

Desfolhei todas as camadas

Do infinito dos meus sentimentos

Até desenhei uma lua de neve

E emoldurei retratos

De nossos momentos.

 

Por esse encantamento

Refiz planos de futuro,

Novas posturas adotei

Trouxe conchinhas coloridas

Lembranças e experiências vividas

Tudo para te ofertar

Dos mares por onde andei.

 

Do meu livro "Interlúdio Poético"/2020. Chiado Books

 

 

Élle Marques.

Amante das Quebradeiras

 

Élle Marques

 

Tenazmente moreno

É auto fecundador

De parede intransponível 

Por mordida é impossível

Alcancar-lhe o sabor

Tem essência energética

Sua forma é tão estética!

Esotericamente grupal

Só consegue ser aberto

Com a raiz de um machado 

Afiado e aprumando

Cortado na posição

O grande caule do cacho

Parece até um patacho

Quando cai e vai ao chão

Suco, leite, óleo e casca

Tudo  nele se acha

No mercado é provisão

Ah, o Coco babaçu!

Amante da quebradeira

Ele é um tipo liteira

Carregando esperanças

Sustentando a criança

É pão! Um Maná encouraçado

De pujança divina

É o ouro do Maranhão

Que se proteja essa mina!

 

 

 

 

Pedro Sampaio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outras Datas Comemorativas

 

Out 31 SÁB Dia Nacional da Poesia

Jul 08 QUA Aniversário de Ouro Preto

Mai 05 TER Dia da Língua Portuguesa

Fev 05 QUA Dia do Datiloscopista

Mar 12 QUI Dia do Bibliotecário

Jan 07 TER Dia do Leitor

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias