Quarta, 26 de Janeiro de 2022
25°

Nuvens esparsas

Curitiba - PR

Brasil Posse de Cordeiro Fº

Obras de Cordeiro Filho imortalizadas através da Academia Poética Brasileira.

Artista Maranhense toma posse neste dia 7 de Janeiro de 2022.

05/01/2022 às 12h08 Atualizada em 05/01/2022 às 12h52
Por: Mhario Lincoln Fonte: Assessoria de Imprensa/Orquídea Santos
Compartilhe:
Cordeiro Filho
Cordeiro Filho

*Orquídea Santos, para o facetubes.com.br

Artista gráfico José de Ribamar Cordeiro Filho sempre se  destacou nas Feiras do Livro que participou. Em uma delas, fez imenso sucesso com sua coleção “Pregoeiros e Praças de São Luís”, artes publicadas desde o ano de 2015. Essa obra, uma de suas principais, mostra os pregoeiros, esses trabalhadores e vendedores anônimos que se multiplicavam entre becos, vielas e ladeiras da cidade de São Luís, levando sempre algo regionalíssimo para a freguesia, geralmente, cativa. 

Inclusive esses vendedores já foram cantados e decantados em música por João do Vale e Antônio Vieira em sua obra, além de constar de importante documento, em livro, publicado por Lopes Bogea.

São essas figuras que saíram do anonimato através da mágica pena do artista gráfico José de Ribamar Cordeiro Filho, exímio em repensar, com seus traços retos e fortes, a essência da paisagem ludovidense, incluindo humanos e casarões.

Até hoje, o livro “Pregoeiros e Praças de São Luís Antiga”, faz muito sucesso e pode ser considerada uma das obras mais representativas da biblioteca regional do Maranhão.

É esse cara, essa joia maranhense, que a partir de sexta, 9 de janeiro de 2022, pertencerá, como raríssima comenda, aos quadros  da Academia Poética Brasileira, presidida pelo jornalista Mhario Lincoln.

O evento acontecerá na AMEI (Associação Maranhense de Escritores Independentes, no Shopping São Luís, com a presença de convidados, em evento ainda restrito em decorrência das normas sanitárias. 

Mesmo assim terá a presença de uma das vozes mais importantes do Jazz Brasileiro: Augusto Pellegrini, também imortal da APB.

No fundo, será um reconhecimento a José de Ribamar Cordeiro Filho, digno representante das artes no Maranhão e quiça, um dos grandes nomes do Brasil.

Seja bem-vindo.

QUEM É??

Uma das obras de Coreito Filho, imortal APB.

Dados biográficos de José de Ribamar CORDEIRO filho.

José de Ribamar CORDEIRO filho, nascido em São Luís do Maranhão em 31 de dezembro de 1950.

Ingressou nas artes gráficas quando cursava Desenho e Plástica na Universidade Federal do Maranhão. A partir daí passou a participar dos movimentos culturais da nossa cidade em exposições individuais e coletivas.

Também exerceu na imprensa do estado, a atividade de cartunista, sendo o primeiro cartunista diário.

No ano de 2001, reeditou uma coleção de “Pregoeiros e Figuras Populares de São Luís” os quais já havia sido apresentado nos tempos da faculdade. Esta coleção lhe rendeu muitas manifestações de apoio, e matérias na imprensa em geral.

A segunda coleção foi distribuída em vários cantos do Brasil, e em outros países, lhe rendendo elogios até hoje.

A terceira coleção de pregoeiros e figuras populares de São Luís foi lançada no ano de 2010, a qual trata do mesmo tema, mas, com uma versão atual dos pregoeiros.

O autor tem se dedicado ao resgate de costumes e atividades culturais, como por exemplo, o livro – Brinquedos e Brincadeiras de Criança.

ATIVIDADES PÚBLICAS:

Em 1982 foi eleito vereador de São Luís, exercendo até 1992.

Em 1988, foi nomeado pelo então governador Epitácio Cafeteira,

Sub chefe da Casa Civil e posteriormente Coordenador do Projeto REVIVER,

Projeto este que tratou da revitalização do Centro Histórico de São Luís, com especial atenção, ao bairro da Praia Grande, sendo inaugurado em 1989.

Daí então exerceu diversas atividades públicas nos governos da prefeita Conceição Andrade, Dr. Jackson Lago, Tadeu Palácio.

No governo Tadeu Palácio, trabalhou na Assessoria Especial, depois foi indicado para a diretoria da Fundação Municipal de Cultura – FunC, e em seguida quando da criação da Fundação Municipal de Patrimônio Público – FumPH, exerceu a Superintendência de Gestão e Patrimônio.

De volta ao gabinete do prefeito Tadeu Palácio, foi novamente nomeado Assessor Especial.

No ano seguinte retorna à Câmara Municipal de São Luís, onde já havia dirigido a Diretoria de Cultura, posteriormente respondeu pela Diretoria de Documentação.

-----------------------------

COMENTÁRIO:

Nos últimos anos, tem se dedicado a causa da conservação e preservação material e imaterial do patrimônio histórico da nossa cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.

PREGOEIROS E PERSONAGENS POPULARES DE SÃO LUÍS DO MARANNHÃO

Os Pregoeiros são pessoas que comercializam seus produtos, entoando na sua maioria, cânticos ou toadas oferecendo doces, frutas, peixes, caranguejos, sorvetes, picolés, carvão e outros.

Mostraremos a seguir, uma coleção de 10 (dez) desenhos, mostrando Pregoeiros e Figuras Populares.

1 – Sorveteiro

O sorveteiro tradicional carregava uma pesada “tina de madeira” cheia de gelo e um tonel de flande cheia das delícias em vários sabores. Na maioria deles era oferecido o sorvete de Côco, Bacuri e ou Maracujá.

Eram vários os Pregões que eles usavam.

2 – Peixeiro

O vendedor de Peixes, quando entrava numa rua ou viela, de longe já se ouvia o seu canto “Peixe Fresco fresquinho comadre, quem vai querer”?

Este aviso era suficiente para a dona de casa pegar uma vasilha e ficar na porta a espera do peixeiro.

3 – Verdureiro

O verdureiro ainda é encontrado em alguns bairros da nossa cidade. Eles também anunciam suas verduras, cantando sobre o quiabo, maxixe e a vinagreira, que acabaram de serem colhidos no sítio.

4 – Vendedor de Fruta

Este personagem continua a venderem seus produtos nas ruas atuais e até nas praias da nossa ilha. Eles carregam pesadas varas compridas, com frutas penduradas nesta improvisada gondola  Ali tem bananas, mangas, pitombas, cajazinho, carambolas, jacamas, bacuris, cupuaçu. 

5 – Vendedor de Pamonha

O pamonheiro ao gritar “Pamonha tá quentinha chega na Pamonha”, as pessoas corriam com um prato para comprar esta iguaria feita de milho enroladas nas casca das espigas. Os pamonheiros tinha hora pra passar, quase sempre entre 4 e 5 horas da tarde, a tempo das pessoas tomarem o famoso café da tarde.

6 – Vendedor de Bolinho na Vara 

Este vendedor de bolinho, não existe mais nas ruas da cidade. Por questões sanitárias, eles praticamente foram banidos. A forma como eram comercializados não se adequam as normas sanitárias, isso porque eles eram pendurados em uma vara, pegando sol e poeira, como vemos no desenho.

7 – Dançarino de Reggae

A cidade de São Luís e o resto do Maranhão criaram um estilo próprio de dançar esta musica caribenha. È o famoso AGARRADINHO, ou seja; os pares dançam juntos em vez de soltos.

Esta música chegou ao Maranhão, pelas “ondas de Rádio” e logo foi aceita pelos dançarinos de salão.

AQUARELAS DE SÃO LUÍS ANTIGO

FOTOS DE 1908 – 1923  1950 

Este trabalho com fotos antigas de São Luís tem sido uma das atividades que hoje desenvolvo.

As fotos em preto e branco são transformadas para aquarelas, numa tentativa de interpretar as cores de ontem numa simbiose com os dias de hoje.

O resultado tem sido satisfatório, ao ponto de nós recebermos muitas encomendas de admiradores do nosso trabalho.

A técnica é simples. Primeiro escolheu as fotos, faço um tratamento para corrigir alguma mancha, imprimo em papel especial e então aplico as cores aquareladas.

-------------------

Orquídea Santos é assessora nacional de imprensa da Academia Poética Brasileira

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias